Capa » Artigos » Autoridade em bioética ensina que o embrião não deve pagar pelos erros dos outros

Autoridade em bioética ensina que o embrião não deve pagar pelos erros dos outros

Em entrevista a Ultimato, o doutor em bioquímica Calum MacKellar, diretor de pesquisa do Conselho Escocês de Bioética Humana e ex-membro do Conselho Europeu de Bioética, afirmou que ciência e fé “não deveriam, de forma alguma, ser compartimentos 07_04_08_abortodistintos, porque a teologia cristã estuda o criador da ciência e o cientista seria muito limitado se estudasse apenas a ciência”. Para ele, “existem matrizes ou padrões em teologia e ciência que se assemelham, e que podem ajudar a desenvolver uma à outra”. MacKellar entende que as questões de aborto, eutanásia, células-tronco e outras da mesma importância e complexidade deveriam ser discutidas mutuamente por cientistas e teólogos, e “também por filósofos, juristas, profissionais da área de saúde física, mental e espiritual […]. Apenas por meio de uma abordagem multidisciplinar é que se pode abordar a bioética da melhor maneira possível”.

Ao ser perguntado se seria favorável ao aborto no caso, por exemplo, de uma adolescente de 15 anos violentada e grávida do próprio tio, MacKellar respondeu: “Minha opinião é que deveríamos separar o que aconteceu do procedimento de criação da pessoa que foi então concebida. A maneira de concepção desse embrião humano foi anti-ética e reflete circunstâncias tristes e difíceis que deveriam ser condenadas. Entretanto, o embrião não deve pagar pelos erros dos outros, pois é inocente. Ele é amado como pessoa por Deus tanto quanto qualquer outra pessoa neste mundo, e penso que seria antiético matá-lo”.

Residente em Edimburgo, na Escócia, e filho de missionários que trabalharam por 30 anos com a Arab World Ministries, Calum MacKellar é presbítero da Igreja Presbiteriana da Escócia e vê com bons olhos a ida de missionários brasileiros para o seu país: “Se a Escócia foi um dos berços do presbiterianismo e da atividade missionária presbiteriana no passado, a mesa virou agora. A Escócia nem pode mais ser considerada um país cristão, e precisamos de todo apoio genuinamente cristão que pudermos ter para reverter a onda de ruptura da sociedade e voltar o povo escocês novamente para Deus. Nosso país tem alguns dos piores problemas sociais de toda a Europa.”

MacKellar concedeu esta entrevista no Centro Evangélico de Missões (CEM), em Viçosa, MG, em julho de 2005, durante a Semana de Reflexão Missiológica, na qual ofereceu seminários sobre ética.

Artigo originalmente publicado na Editora Ultimato, em 2005

Em entrevista a Ultimato, o doutor em bioquímica Calum MacKellar, diretor de pesquisa do Conselho Escocês de Bioética Humana e ex-membro do Conselho Europeu de Bioética, afirmou que ciência e fé “não deveriam, de forma alguma, ser compartimentos distintos, porque a teologia cristã estuda o criador da ciência e o cientista seria muito limitado se estudasse apenas a ciência”. Para ele, “existem matrizes ou padrões em teologia e ciência que se assemelham, e que podem ajudar a desenvolver uma à outra”. MacKellar entende que as questões de aborto, eutanásia, células-tronco e outras da mesma importância e complexidade deveriam ser discutidas ...

Revisão

Avalie: Seja o primeiro a avaliar
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*